segunda-feira, 29 de março de 2010

Post # 2 7


O texto abaixo foi escrito em 11/08/2006. Volta e meia volto ao meu antigo blog e me pego relendo estas palavras que me são tão atuais e que mexem mais ainda comigo.

Ensaio sobre o tempo

Tenho pensado muito no tempo. No tempo que me resta, no agora, no que passou. Principalmente sobre o que passou. Sobre coisas que fiz, que deixei de fazer. Nas pessoas que passaram pela minha vida, cada marca deixada por elas. O que será que preenche nossas vidas? Lembranças são mesmo suficientes? Nos resta então nos afundar em sonhos, ilusões autopiedosas, desesperadas, que acabam por desviar nossa atenção para a cegueira da infelicidade.

Claro, há um mundo vasto, muito mais complexo do que nossas mentes incapazes podem imaginar, porém não quero problematizar esse assunto no momento. Aqui finjo analisar o tempo, enfim.

Na hora de fazer planos o que vem à sua cabeça? Morte, quem sabe. O futuro certo, o único. Tranqüilo e feliz sei o meu futuro, por isso sigo atrás de um passado pleno, satisfatório, assim no leito da morte poderei pensar: eu vivi! Seria poético se não fosse trágico.

A divisão do tempo é errada, o presente é algo irreal, o futuro a mim não interessa, quero saber do meu passado.
Não quero dizer, minha gente, que não me ponho a sonhar, mas é claro que sim! Porém me controlo. Desejos alados, aqueles que te tiram do chão podem ser dolorosos, eu bem sei, senti na pele quando me peguei a planejar um futuro, e cá estou a exaltar o passado, pois o "futuro" me abandonou. E o passado não me deixa, é meu bem mais precioso e tenho sede de um passado saudável. Como se fosse um filho meu que irá me acompanhar pelo resto da vida e que no fim irá cuidar de mim.

2 comentários:

Lella Cara de Panela disse...

Parece que fui eu quem escreveu isso....rs...
Também tenho esse apego.
Aiai...

Thauan Santos disse...

Já conversamos sobre esse texto antes e, diante disso, só quero ratificar que gosto do modo como você escreve e das temáticas.

Normalmente são temas atemporais e me levam a refletir bastante. Like that.


Inté o próximo post.