segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Post # 4 2


Impressionante como o Twitter acabou com a minha capacidade de escrever. Tudo o que conseguia escrever para postar aqui acabava findando ali e percebia um tweet. Daí publicava lá e não acabava por aqui. Foram tantas vezes que acabei por desistir.

Mas a minha vida está assim: tudo em cento e quarenta caracteres. Tem alguns momentos engraçados. Uns de revolta. De repente uma metralhadora de revolta e raramente alguns momentos fofos. Apesar de, na minha descrição lá me assumir “fofo”, Na verdade estou só tentando atrair isso pra minha vida. Auto-sugestão.

Estou tendo dificuldade no geral de expor as coisas que pairam dentro da minha cabeça. Minha criatividade está adormecida e sentimentos vêm esboçar alguma reação só para encher a porra do meu saco.

Outro dia um amigo me perguntou por que estou há tanto tempo sem escrever; “você está feliz Tunai? Então tem que ficar sempre triste para postar sempre porque me divirto com seus dramas.” Eu ando a um tempo numa boa fase. Mas não chego a estar feliz (até porque tal coisa não existe. como dizia o poeta “tristeza não tem fim, felicidade sim” SO TRUE). Eu estou dormente, sabe? Não tenho apostado muito nos problemas e nem tenho me agarrado a eles, não tenho problemas novos, só os velhos que vou empurrando com a barriga (mas alguns ainda me tiram o sono, ok?), mas não tem nada que me deixe feliz acontecendo na minha vida.

As pessoas me perguntam “e aí, queceandafazendodessavida?” e respondo “nada”. Porque nada mudou. Ainda não me formei, não estou apaixonado-cogitando-amando-querendo-nem-mesmo-trepando com ninguém... Não tenho todos os DVDs que eu quero, nem uma TV de LCD de 50 polegadas e minha conta ta zerada...

E assim, não sei como terminar esse texto. Mas quero voltar a escrever. Ou então me segue no Twitter e ria dos meus dramas, mesmo que nem todos sejam 100% verdade.

3 comentários:

Marcelo R. Rezende disse...

Ah, poxa, eu acredito na felicidade. Acho que poeta só usou a frase pra dar um toque triste à música. A tristeza é ótima inspiração pros belos textos e artes, já dizia o Samba da Benção, mas a felicidade também é. O certo é achar o tom.

Como tu tá na mesma, nada mudou, então que tu curta esse nada por algum tempo, mas que logo mude, porque ser feliz é... feliz, rs!


Beijo, seu lindo.

Autor disse...

Me senti citado nesse post :-)
Mas é sério, não precisa nem ficar triste, só de escrever posts como esse, não-triste-mas-não-feliz já me alegra.
Gosto do seu mau humor habitual e de seus textos inspiradores.
E eu sempre tive certeza sobre esse trecho da música. Seria: "tristeza não, tem fim! Felicidade, sim!" ou tristeza não tem fim, felicidade sim"?
hehehehhe
Um copo meio cheio ou meio vazio?
Bjo moço que me alegra!

pointlesswriting disse...

uma vez conheci uma mulher que tinha uma doença chamada "síndrome do descontentamento crônico". talvez eu tenha isso. ou talvez seja eu querendo me auto analisar/ medicar ou sei lá mais o quê.
eu tenho motivos pra estar feliz. só que esses motivos estão ( e nesse ano de maneira geral estiveram) em montanhas russas velozes e vertiginosas. Não consigo acompanhar e enjôo. Ou já andei tantas vezes que fiquei indiferente. Ou seja: não sei que problema é o meu.
Mas vc, certamente Tunai, foi e é uma das minhas soluções.
:*