quinta-feira, 26 de abril de 2007

Post # 9


Até hoje me assusto com a pressão que é escolher uma profissão. Alguns colégios aterrorizam jovens para que eles escolham um caminho, assim, como quem faz miojo. Claro, isso sempre passou pela minha cabeça, aquela velha pergunta que os adultos adoram fazer para as crianças: “e aí, conta pro tio, o que você quer ser quando crescer?”.

A criança, que mal sabe o nome do desenho animado que ela assiste todo dia de manhã responde: “medico, astronauta, paleontólogo, dentista...”.

Comigo foi diferente, não fui pressionado. Na época que eu decidi fazer cinema minha mãe me apoiou, até porque eu estava num momento depressivo e fazer o que eu gosto iria me ajudar. Meu pai fez aquele comentário clássico: e você vai viver do que? Foi quando eu descobri quando surgiu a idéia para o meu nome...

Num desses churrascos da vida, e meados de 1985, minha mãe grávida, meu pai fala: meu filho vai ser artista! Algumas pessoas acham engraçado, na vitrola toca o disco do Tunai, aquele cantor irmão do João Bosco. Alguém então fala: vai ser artista igual ao Tunai. Pronto, era o que faltava para os meus pais. Seria uma previsão do meu pai, então? Eu acabei crescendo com isso já no meu dna.

Meu pai sempre gostou muito de cinema e musica e há uns meses atrás ele secretamente revelou para minha irmã que a ver tocando violão tão bem e me ver estudando cinema enche ele de orgulho, porque são coisas que ele gosta muito. São coisas que ele gostaria de fazer.

Tenho medo de decepcionar meus pais. Mas eu tenho certeza de que estou no caminho certo. Até porque isso foi profetizado por ele até mesmo antes de eu nascer.

6 comentários:

Érika disse...

num ser artista seria estranho...

yolanda maria disse...

nossa, fiquei emocionada lendo esse post *__*
já me contaram essa história do seu nome uma vez...
e com certeza vc tá no caminho certo, querido!
beijos

mefool disse...

meus pais não profetizaram nada em relação a mim. meus irmãos escolheram meu nome. e eu realmente não sei o q vou fazer da vida. e eu "já" tenho 18. ui!

Lívia Bueno & Philippe Fernandes disse...

só pelo fato de ser aquariano, jah d
á pra saber das veias artísticas!!!!
Eu sempre quis ser jornalista, mas antes era pra aparecer na televisão de maneira inteligente...eu desde pekena gostava de parecer intelectual e saber mais que todos...mto idiota, mas isso me fez correr atrás do que eu realmente queria e enfrentar td e tds...hj eu faço o q gosto e não to nem aí pro q tah em volta... sei q minha mae minha vó se orgulham, msm com els tendo brigado comigo pq larguei minha outra facul no meio! ahhahaha



bjokas e sucesso!!!

Bartheaux disse...

ah eu já sabia da história e não tenho nada pra comentar heheheh


tá só na hora de injetar mais adrenalina na veia artística

Mayra/ Clarice disse...

eu queria que meu nome tivesse uma história parecida, mas ele é apenas um diminutivo de Mayara, que a minha mãe achou grande demais ( e só tem uma letra a mais).
eu meio que sinto essa pressão até hoje. Quando eu era criança e via os filmes do Indiana Jones, eu dizia que queria ser arqueóloga. E queria mesmo, até que, por fim, me convenceram de que não haviam mais tesouros enterrados. Nenhum Santo Graal que eu pudesse caçar.
Hoje em dia ficou mais ou menos estabelecido que, devido ao meu amor pelas letras, serei professora. Mas não é bem isso, eu queria escrever. E no entanto, nunca escrevi o suficiente para poder encher um livro medíocre sequer. Nem sei se tenho talento.
Fico em pânico quando os professores me perguntam: e aí, o q vc quer fzer com a sua graduação em letras? e eu só penso em responder: não sei!